Seguidores

:: LINK-ME ::


29 de jan de 2011

Happy anniversary, my darling!


Happy anniversary, my darling!
All I am is yours, as you are mine.
Perhaps the years erode the boundary line;
Perhaps the fortune fades into the feeling.
Yet we are will, though often not quite willing,
As this year's choice becomes the next year's wine.
Nor without love could we endure the time
Needed to bestow so great a blessing.
In choosing love, unburdening desire,
Viewing passion as a gift to give,
Embracing as we long to be embraced,
Remaining where we would someone remain:
So do we tend both equally the fire
As each becomes the one one needs to live,
Replacing what can never be replaced,
Yearning for what comes again, again.


by Nicholas Gordon

HAPPY BIRTHDAY

Gifs by Oriza "

30 DE JANEIRO - DIA DA SAUDADE


A palavra Saudade traz em si, diversos significados que podem ser interpretados de acordo com o contexto onde é aplicado. Sua origem encontra-se no Latim, Solitate, e se pesquisada, descobriremos que a conotação contemporânea distanciou-se da original. Saudade não mais se refere ao sentimento de solidão preservado em variações de línguas românicas como o espanhol: soledad e soledat.
Sobre a saudade, podemos encontrar definições como "Sentimento mais ou menos melancólico de ausência, ligado pela memória à situações de privação da presença de alguém ou de algo, de afastamento de um lugar ou de uma coisa, ou à ausência de certas experiências e determinados prazeres já vividos e considerados pela pessoa em causa como um bem desejável"; ou "Lembrança nostálgica e, ao mesmo tempo, suave, de pessoa ou coisa distante ou extinta. Pesar pela ausência de alguém que nos é querido". Como sinônimos, encontramos Lembrança e Nostalgia.

Em 30 de janeiro celebra-se o "Dia da Saudade". Na gramática Saudade é substantivo abstrato, tão abstrato que só existe na língua portuguesa. Os outros idiomas têm dificuldade em traduzi-la ou atribuir-lhe um significado preciso: Te extraño (castelhano), J'ai regret (francês) e Ich vermisse dish (alemão).
No idioma inglês encontramos várias tentativas: homesickness (equivalente a saudade de casa ou do país), longing e to miss (sentir falta de uma pessoa), e nostalgia (nostalgia do passado, da infância). Mas todas essas expressões estrangeiras não definem o que sentimos.
São apenas tentativas de determinar esse sentimento que nós mesmos não sabemos exatamente o que é. Não é só um obstáculo ou uma incompatibilidade da linguagem, mas é principalmente uma característica cultural daqueles que falam a língua portuguesa.

Saudade não tem cor, mas pode ter cheiro. Não podemos ver nem tocar, mas sabemos o quanto é grande. Pode ser o sentimento que alimenta um relacionamento amoroso ou apenas o que sobra dele. Pode ser uma ausência suave ou um tipo de solidão. Pode ser uma recordação daquele momento e daquela pessoa, que um dia, mesmo sabendo ser impossível, ousamos querer reviver e rever. É a dor de quem encontrou e nunca mais encontrará, de quem sentiu e nunca mais voltará a sentir. A saudade se combina com outros sentimentos e procria-se. A soma da saudade com a solidão é igual a Dor. O resultado da saudade com a Esperança é a Motivação.
Saudade é uma só, em diferentes palavras. É comum encontrá-la grafada nas lápides em alusão a dor da ausência provocada pela morte. Mas na Literatura e na Música é um tema crônico. É quem arquiteta a estrofe e conduz o tom. Não importa o gênero literário ou o estilo musical, não importa o autor, a época ou a situação.

Casimiro de Abreu versificou sua saudade da infância: "Oh! que saudades que eu tenho / Da aurora da minha vida / Da minha infância querida / Que os anos não trazem mais!". Álvares de Azevedo antecipou a saudade mortal: "Se eu morresse amanhã, viria ao menos / Fechar meus olhos minha triste irmã / Minha mãe de saudades morreria / Se eu morresse amanhã!". A poetisa portuguesa, Florbela Espanca, também registrou sua saudade: "E a esta hora tudo em mim revive / Saudades de saudades que não tenho... / Sonhos que são os sonhos dos que eu tive...".
O Rock brasileiro transformou a saudade numa de suas bandeiras. Renato Russo cantou: "nessa saudade que eu sinto / De tudo que eu ainda não vi". Ainda nas canções de Renato: "dos nossos planos é que tenho mais saudade". Entre o Rock e a MPB, Cazuza, declarou: "Saudade do que nunca vai voltar / E dos amigos que se foram / Eu hoje estou com saudade". Tom Jobim e Vinícius de Moraes compuseram: "Chega de saudade / A realidade é que sem ela não há paz...".

Saudade é um registro fiel do passado. É a prova incontestável de tudo que vivemos e ficou impresso na alma. Ao confessarmos uma saudade, na verdade, estamos nos vangloriando de que, ao menos uma vez na vida, conhecemos pessoas e vivemos situações que foram boas, e serão eternas em nossa alma. Nutri-la, é alimentar o espírito e a própria existência.
Se há tantas e, ao mesmo tempo, tão imprecisas definições de saudade, resta-nos apenas cultivá-la e alimentá-la com pensamentos, músicas, perfumes, fotografias, lugares, fins de tarde e madrugadas. Saibamos viver plenamente o presente, pois ele será a saudosa lembrança de amanhã.

Nos braços da saudade


Levantei com uma impressão de que meu dia seria péssimo, uma angústia invadia meu peito, sentia falta de ar. Uma dor me incomodava, não sabia o que fazer, já estava prevendo que tudo que faria seria mal acabado.
Resolvi, então, passar o tempo em frente ao computador para ver se aquela angústia evadia-se, foi pior!
As lágrimas teimavam em rolar pelo rosto e então percebi que se tratava de
saudade.
Revirei todas mensagens de auto-estima, ouvi músicas, e a solidão tomou conta de todo o meu ser.

Voltei ao meu passado e, lembranças daquele
amor que marcou minha vida vieram à tona.
Saudade daqueles beijos apaixonados, daquelas juras de amor eterno.
Quantas saudades afloraram em meu
viver!

E hoje, nem eu me acho!

Agora, decorrido todos esses anos de espera, de lembranças, de saudades, não vislumbro mais sua imagem, e, restam-me a angústia e a solidão.
Quisera poder voltar no tempo e reparar o que não foi reparado!
Quisera poder voltar no tempo e dizer novamente o quanto eu te amo!
Quisera poder voltar no tempo e dizer o quanto você faz falta!

Como seria maravilhoso poder ouvir sua voz novamente, sentir seu cheiro e deitar em seus carinhos.
O tempo passou, tudo se modificou, e a vida segue seu curso normal, carregando no seu seio a minha saudade.
Hoje procuro sufocar minha dor sabendo que desejo para quem mais amo na vida a felicidade plena.
Pois, devemos oferecer para quem realmente amamos o melhor.
E por mais que toda a angústia me devora, todas as lágrimas caiam de meus olhos, eu sempre a amarei.

Então, continuo vivendo com a dor da saudade, mas carregando no coração as lembranças de seu sorriso, de seu cheiro e de sua voz.
Passe o tempo que passar, saiba que sempre, ainda, vou te amar.
E, hoje, me aconchego, me deito e me deleito nos excruciantes braços da saudade.


Minhas palavras


Cuide muito bem das suas palavras, quando soltamos o verbo não tem volta, elas ficam registradas no cérebro de quem as recebe, e se essa pessoa registrá-las no coração, pode ser que você ganhe um inimigo, pode ser que você acabe uma amizade, pode ser que você termine o romance da sua vida.
Por isso, se você já sabe que não anda bem, se anda cheio de problemas, melhor silenciar, o silêncio pode responder muitas perguntas.
Agora, tem gente que anda tão de mau com a
vida, anda tão frustrada que já azedou e nem se toca, de 100 palavras que fala 90 são de reclamações, as outras dez, palavrões ou murmurações.
Falamos o que sentimos na alma, e por mais que tentemos disfarçar, ninguém consegue representar o dia inteiro, ser o que não é por muito tempo, por isso tem muita gente vivendo na solidão, tem gente abandonada em asilos, tem gente andando a ermo pelas ruas, e tem gente.
Que muita gente só deseja coisa ruim, porque falta AMOR, não dá e nem recebe AMOR, e o AMOR tem esse poder de adoçar a vida, as palavras, os gestos, as
atitudes, transformar de VERDADE!
Verifique ainda hoje o seu nível de
AMOR, e se for o caso, complete o tanque da sua ALMA, porque ninguém resiste ao AMOR.


Autor: Rosangela Hespanhol.

Era tão bom


Que dia é hoje?! Quantas horas são?! Isso já nem importa mais...
O tempo passa depressa demais, enquanto tudo que eu queria era que ele ficasse parado, que tudo se estagnasse para que não ficassem tão distantes de mim os momentos que vivi com você...
Diz uma canção: “Se lembra quando a gente chegou um dia a acreditar que tudo era pra sempre sem saber que o “pra sempre” sempre acaba”. E eu me pergunto: Por quê?!
E tudo volta à rotina normal, como deveria ser...
Eu poderia ter feito alguma coisa hoje... Mas, sei lá... Fiquei aqui pensando em você...
Porque, pensamentos são as coisas mais reais que tenho de você agora.
É estranho, ter que te esquecer...
Eu pedi tanto ao tempo que ele voltasse atrás, para que eu pudesse mais uma vez estar com você e sentir a paz que você me trás... insisti... insisti... mas foi em vão...
Um dia alguém me disse: “tudo sempre muda, estamos sempre vivendo experiências novas, e nunca nada será como antes!”.
Procuro, hoje, fazer dessas palavras meu consolo.
Se tudo muda, eu também mudarei um dia... Esse sentimento também mudará...
E este então será meu último poema, pois todas as coisas que eu quero dizer, nem estão saindo direito...
E era tão bom...
Eu poderia ter feito alguma coisa hoje... Mas, sei lá... Fiquei aqui pensando em você.

DIA DA SAUDADE - GIFS

[link=http://www.gifspiquis.com]
[/link]

[b]Mais recados? http://www.gifspiquis.com[/b]

SAUDADE - CRÔNICA DE MIGUEL FALABELLA


Trancar o dedo numa porta dói.
Bater com o queixo no chão dói.
Torcer o tornozelo dói.
Um tapa, um soco, um pontapé, doem.
Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim.
Mas o que mais dói é a saudade.
Saudade de um irmão que mora longe.
Saudade de uma cachoeira da infância.
Saudade de um filho que estuda fora.
Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais.
Saudade do pai que morreu, do amigo imaginário que nunca existiu.
Saudade de uma cidade.
Saudade da gente mesmo, que o tempo não perdoa.
Doem essas saudades todas.
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama.
Saudade da pele, do cheiro, dos beijos.
Saudade da presença, e até da ausência consentida.
Você podia ficar na sala e ela no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá.
Você podia ir para o dentista e ela para a faculdade, mas sabiam-se onde.
Você podia ficar o dia sem vê-la, ela o dia sem vê-lo, mas sabiam-se amanhã.
Contudo, quando o amor de um acaba, ou torna-se menor, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.
Saudade é basicamente não saber.
Não saber mais se ela continua fungando num ambiente mais frio.
Não saber se ele continua sem fazer a barba por causa daquela alergia.
Não saber se ela ainda usa aquela saia.
Não saber se ele foi na consulta com o dermatologista como prometeu.

Não saber se ela tem comido bem por causa daquela mania de estar sempre ocupada; se ele tem assistido às aulas de inglês, se aprendeu a entrar na Internet e encontrar a página do Diário Oficial; se ela aprendeu a estacionar entre dois carros; se ele continua preferindo Malzbier; se ela continua preferindo Margarita; se ela continua sorrindo com aqueles olhinhos apertados; se ela continua dançando daquele jeitinho enlouquecedor; se ela continua cantando tão bem; se ela continua detestando o Mc Donald's. Se ele continua amando; se ela continua a chorar até nas comédias.
Saudade é não saber mesmo!

Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos;
Não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento;
Não saber como frear as lágrimas diante de uma música;
Não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.
Saudade é não querer saber se ela está com outro, e ao mesmo tempo querer.
É não saber se ele está feliz, e ao mesmo tempo perguntar a todos os amigos por isso...
É não querer saber se ele está mais magro, se ela está mais bela.

Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim doer;
Saudade é isso que senti enquanto estive escrevendo e o que você, provavelmente, está sentindo agora depois que acabou de ler...
Fonte: www.spectrumgothic.com.br

16 de jan de 2011

VOCÊ ESTARÁ CANSADO

Não importa o que você faça hoje, estará cansado quando terminar.
Você pode estar cansado após um dia de eficiente esforço e realizações,
ou pode estar cansado após um dia que não o levou a lugar algum.

A escolha é sua. Se você vai se cansar de qualquer forma, faz sentido
que aproveite essa situação para alguma coisa
Esforçar-se ao máximo, mover-se em direção aos seus sonhos, fazer
a diferença, construir uma vida de excelência para si mesmo e para
o mundo ao seu redor.

Então, juntamente com estar cansado, você também estará satisfeito
e realizado. E você descansará bem, sabendo que sua vida é plena e
que sua jornada está indo bem.

Como você prefere sentir-se hoje à noite? Cansado e frustrado,
ou cansado e satisfeito?
Tudo isso depende do que você faz agora, com esse dia que está
esperando ser preenchido.



CUIDA DE MIM

Cuida de mim ...
Me olha como se eu fosse uma criança ,
Me empresta seu ombro ,
me embala em seu colo .

Trata minhas feridas , beija a minha dor ...
Enxuga minhas lágrimas
e me diz que não estou só .

Pega minhas mãos entre as suas ,
Aquece-me com seu calor .
Cuida de mim ...
Me faz parar ...

Me faz entender que não sou de aço ...
Olha nos meus olhos e me faz aceitar
Que é real o meu cansaço
e não uma ilusão , como eu quero acreditar .

Preciso de alguém que me pegue pela mão ,
que me leve pra passear, que sorria comigo ,
Que me convença que o mundo
continua a girar se eu relaxar .

Preciso de você ,
Por favor ... cuida de mim ...

O AMOR É UMA FLOR DELICADA

Não existem conquistas definitivas,
salvo para aqueles que nos deixam
no auge do apego.
Aí sim, as pessoas ficam irreversivelmente
gravadas dentro do nosso coração e nós no delas.

Se não podemos explicar os porquês das chamadas
de um coração, podemos, portanto, compreender a
importância do exercício diário, na manutenção dos
sentimentos do outro.
Ninguém pertence a ninguém, as pessoas doam-se e acolhem-se.

O amor é uma flor muito delicada, mesmo se vestida de
grandiosas e maravilhosas formas.

O amor é uma flor singela, frágil e bela e é preciso recebê-lo
com mãos ternas, como se sua vida dependesse de nossa acolhida.

Frequentemente somos meio desajeitados quando se trata de amor.
Descuidamos dos pequenos gestos que o nutrem, deixamos que a
terra seque-se, substituímos atenções emocionais por outras que,
mesmo importantes, não são suficientes ao mantimento para a
durabilidade do amor.

O amor nutre-se de carinhos e carícias.
Sacia-se no abraço, cresce no beijo.
Fortalece-se nos momentos a dois.
Achamos tempo para tanta coisa e nos dedicamos pouco a estar com o outro.
Pessoas às vezes que se amam muito afastam-se por falta de cuidado de ambas as partes.
Os quereres confundem-se.

Homens e mulheres são diferentes, isso é certo!
Mas deve haver esse meio caminho onde as mãos acabam se encontrando,
onde os dedos se entrelaçam e os desejos fundem-se numa mesma coisa.

Ninguém conhece a verdadeira dor de perder antes de ter perdido de verdade.
É depois, bem depois, que olhamos para trás e nos dizemos que teríamos vivido
bem mais intensamente se tivéssemos carregado essa delicada flor bem mais
pertinho do nosso coração.

(Letícia Thompson)

15 de jan de 2011

DIREÇÃO DO SOL


Tome a tua vida em tuas mãos,
e não entregue a direção dela a ninguém.
Por mais que te amem, por mais que desejem, o teu bem,
só você é capaz de sentir o que realmente sente,
e aquilo que você passa de impressão para os outros,
nem sempre corresponde ao que vai na sua alma.
Quantas vezes você já sorriu para disfarçar uma lágrima teimosa?
Quantas vezes quis gritar e sufocou o pranto?
Quantas vezes quis sair correndo de algum lugar
e ficou por educação, respeito ou medo?
Quantas vezes desejou apenas um beijo,
e ficou com a boca seca esperando o que não veio?
Quantas vezes tudo o que você desejou era apenas um abraço.
Um consolo, uma palavra amiga e só recebeu ingratidão?
Quantos passos foram necessários para chegar até onde você chegou?
Quantos sabem dar o valor que você realmente merece?
Criticar é fácil, mas usar o seu sapato ninguém quer,
vestir as suas dores ninguém quer,
saber dos seus problemas,
só se for por curiosidade,
por isso, não entregue a sua vida nas mãos de ninguém,
nada de acreditar que sem essa ou aquela pessoa,
você não vai viver…
Vai viver sim, o mundo continua girando,
e se você deixar, pode te trazer algo muito melhor.
Pegue a direção da sua vida e aponte rumo ao Sul,
lá onde a placa diz “caminho do sol”,
bem na curva da felicidade, que te espera
sem pressa, para viver com amor e intensidade,
a paz, a harmonia e a felicidade.
Paulo Roberto Gaefke





Depois de um descanso

A partir de agora você retoma seu projeto de vida, que sofreu uma pausa para o seu merecido descanso. Você já viajou no sono, momento em que você refez as energias, enquanto o espírito viajou em experiências inconscientes, que vão servir de inspiração para este dia.

Lembre-se que o mais importante da vida não acontece de segunda a sexta e nem só aos sábados, domingos e feriados. Lembre-se que a felicidade não escolhe datas.
O seu grande momento não escolherá hora, nem dia, nem lugar. Será onde você estiver. O que importa é estar preparado para o grande momento e não perder a sua perspectiva de que o momento presente pode estar sendo o seu “grande momento”.
Mas não há nada como a força de uma nova manhã para encher o seu coração de esperança...
Lembre-se do ponto onde você parou na caminhada em busca dos seus sonhos. Reveja seus objetivos, reavalie sua estratégia e esteja sempre no comando.
Este será mais um dia decisivo na sua história. Tenha coragem para enfrentar o frio dos corações incrédulos sem perder o rumo; determinação, paciência e sabedoria para ultrapassar os obstáculos; tolerância para suportar quem você tiver de carregar. E fé, para não perder a esperança.

Em choque diante da crueldade


Excursão escolar a matadouro traumatiza crianças nos EUA

04 de dezembro de 2010


Por Danielle Bohnen (da Redação)

Dezoito estudantes da Mavis Beacon Elementary School, em Ohama, Nebraska, estão em tratamento psicológico depois de uma visita da escola a um matadouro.


Crianças ficam em choque após presenciar as atrocidades praticadas contra os animais no matadouro (Reprodução/newsweak)As crianças ficam extremamente horrorizadas ao ver como as vacas são cruelmente assassinadas e torturadas. Alguns dos estudantes vomitaram e a maioria chorava o tempo inteiro. O professor, Maxwell Barnes, responsável pela organização do passeio, diz de forma natural e terrível: “eu não vejo nada de errado no passeio. No início do ano fizemos uma visita a uma fábrica de chocolates. As crianças têm curiosidade em saber de onde vem sua comida. Eu não acho que deve haver algo de errado mostrando de onde vem a carne”. Como se vacas cruelmente assassinadas fosse algo muito natural.


De acordo com informações do jornal Newsweak, as crianças foram levadas no compartimento de carga onde os animais são transportados e testemunharam a barbaridade de como é realizado o processo de sacrifício, onde os animais recebem um tiro de pistola pneumática na cabeça, tendo “morte cerebral”.
Diante da reação horrorizada das crianças, o chefe do estabelecimento Dan Smith conta: “dissemos a eles que era tudo parte natural da carne, como são feitos hambúrgueres deliciosos que eles comem. Mas parece que não ajudou nada”. Como se as crianças fossem seres incapazes de pensar por si só na crueldade que foram obrigadas a presenciar.


Depois do desmaio horrível, os animais foram acorrentados pelas pernas traseiras e esquartejados, sangrando até a morte completa. Diante de tão horrenda cena, as crianças ficaram ainda piores. “Eu vi um menino vomitando. E, depois, todos começaram a correr e vomitar pelo local. Ficou tudo fora de controle. Eu me assustei e não continuei o passeio”.


Fonte: Anda


--